AGORA, UM POEMA!


Foto: Noilton Pereira
A CASA DE DONA MARIA
Quem morava com avó
E viveu esse momento,
Na garganta dar um nó
Ao lembrar desse tempo.

Dum fogão de alvenaria
Da velha panela de barro,
Do cafezinho da D.Maria
Que eu vinha só no faro.

Ainda está na lembrança
Da cozinha de pau a pico,
A gente quando criança
Brincava e pagava mico.

O cheiro do café cuado
Cuscuz quente na mesa,
Do sítio eu ainda guardo
Lembranças da natureza.

Nonato Bertoldo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário